ECONOMIC COMPLEXITY AND POST-PANDEMIC CHALLENGES FOR BRAZIL

A NEW PERSPECTIVE FOR ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Rodrigo Loureiro Medeiros Instituto Federal do Espírito Santo
  • Paulo Sérgio de Oliveira Simões Gala Fundação Getúlio Vargas de São Paulo - FGV / SP
  • Luiz Henrique Lima Faria Instituto Federal do Espírito Santo
  • Rafael Buback Teixeira Instituto Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.47682/2675-6552.v1n1p1-11

Keywords:

productive structure in Espírito Santo, economic complexity, regional development, gradualist strategy

Abstract

This paper evaluates the productive structure of the State of Espírito Santo using the methodology of economic complexity. Since the falls in 2015 and 2016, the recovery of the Brazilian economy has been disappointing. This fact is correlated with the process of early deindustrialization of the Brazilian economy. In the State of Espírito Santo, whose economic development model is fifty years old, the methodology of economic complexity points out that it will be necessary to rethink public policies for regional development. This paper proposes a gradualist strategy for public policies in Espírito Santo, based on the international literature on the development process.

Referências

ARGAWALA, A. N.; SINGH, S. P. (orgs.) A economia do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

BAIROCH, P. Economics and world history. Chicago: University of Chicago Press, 1995.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Em busca do desenvolvimento perdido. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2018.

CURADO, M. Industrialização e desenvolvimento: uma análise do pensamento econômico brasileiro. Econ. Soc., Campinas, v. 22, n. 3, p. 609-640, 2013.

DATAVIVA. DataViva. 2020a. Disponível em <http://dataviva.info/pt/>. Acessado em: 7 de maio de 2020.

DATAVIVA. Glossário: Complexidade. DataViva, 2020b. Disponível em <http://legacy.dataviva.info/pt/about/glossary/complexity/>. Acessado em: 13 de junho de 2020.

DATAVIVA. Espírito Santo. DataViva, 2020c. Disponível em <http://legacy.dataviva.info/pt/profiles/bra/4es/?app=3>. Acessado em: 13 de junho de 2020.

DATAVIVA. DataViva: Rankings, 2020d. Disponível em <http://dataviva.info/pt/rankings/>. Acessado em: 13 de junho de 2020.

FINDES. Boletim Econômico Capixaba. Findes, 2020.

GALA, P. Complexidade econômica. Rio de Janeiro: Contraponto, 2017.

GALA, P.S.O.S. O paradoxo do café no Brasil. Paulo Gala, 2019. Disponível em <https://www.paulogala.com.br/o-paradoxo-do-cafe-no-brasil/>. Acessado em 13 de junho de 2020.

GALA, P.; RONCAGLIA, A. Brasil, uma economia que não aprende. Rio de Janeiro: Contraponto, 2020.

GALBRAITH, J. K. O pensamento econômico em perspectiva. São Paulo: Pioneira, 1989.

HARTMAN, D.; JARA-FIGUEROA, C.; GUEVARA, M.; SIMOES, A.; HIDALGO, C. The structural constraints of income inequality in Latin America. Integration & Trade Journal. No. 40, June 2016.

HAUSMANN, R.; HIDALGO, C.; BUSTOS, S.; COSCIA, M.; CHUNG, S.; JIMENEZ, J.; SIMÕES, A.; YLDIRIM, M.A. The atlas of economic complexity. Hollis (New Hampshire): Puritan Press, 2011.

HIDALGO, C. Why information grows. New Youk: Basic Books, 2015.

IBGE. Síntese de Indicadores Sociais 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2019.

IBGE. Espírito Santo, Cidades e Estados. IBGE, 2020. Disponível em <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/es.html>. Acessado em 8 de maio de 2020.

IDEIES. Boletim Econômico Capixaba. Publicação Ideies. Ano 4, Número 29, 2020. ISSN 2595-9247. Disponível em <http://www.portaldaindustria-es.com.br/system/repositories/files/000/000/497/original/Boletim-Janeiro_2020.pdf?1580405950>. Acessado em 31 de maio de 2020.

IEDI. Destaque IEDI - América Latina: exportações em queda. IEDI, 2020. Disponível em: <https://iedi.org.br/artigos/destaque/2017/destaque_iedi_20200526.html>. Acessado em: 1 de junho de 2020.KRUGMAN, Development, geography, and economic theory. Cambridge (MA): The MIT Press, 1995.

LEVITSKY, S.; ZIBLATT, D. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

LIN, J. Y. Economic development and transition. Cambridge (UK): Cambridge University Press, 2009.

NITAHARA, A. Extrema pobreza e desigualdade crescem há 4 anos, revela pesquisa: Levantamento foi feito em todo o país pelo IBGE. Agência Brasil, 2019. Disponível em <https://agenciabrasil.ebc.com.br/ economia/noticia/2019-11/extrema-pobreza-e-desigualdade-crescem-ha-4-anos-revela-pesquisa>. Acessado em: 10 de maio de 2020.

OEC. OEC - The Observatory of Economic Complexity. MIT, 2020a. Disponível em <https://oec.world/>. Acessado em 4 de junho de 2020.

OEC. Methods. MIT, 2020b. Disponível em <https://oec.world/en/resources/methods>. Acessado em: 4 de junho de 2020.

OEC. Custom Rankings. MIT, 2020c. Disponível em <https://oec.world/en/rankings/custom>. Acessado em: 4 de junho de 2020.

OEC, World. Espírito Santo. 2020d. Disponível em <https://oec.world/en/profile/subnational_bra_state/espirito-santo>. Acessado em 6 de junho de 2020.

OLIVEIRA, U. J. Elites capixabas no golpe de 1964. Serra (ES): Editora Milfontes, 2018.

PIKETTY, T. Capital e ideologia. Barcelona: Editorial Planeta, 2019.

REINERT, E. Como os países ricos ficaram ricos... e porque os países pobres continuam pobres. Rio de Janeiro: Contraponto, 2016.

ROCHA, H.; MORANDI, A. Cafeicultura e grande indústria. Vitória (ES): Espírito Santo em Ação, 2012.

RUNCIMAN, D. Como a democracia chega ao fim. São Paulo: Todavia, 2018.

SOUZA. R. H.F. Uma história de desigualdade: a concentração de renda entre oos ricos no Brasil, 1926-2013. São Paulo: Hucitec, 2018.

UNCTAD. State of commodity dependence 2019. New York: United Nations, 2019.

WORLD BANK. World Development Report 2009. Washington (DC): World Bank, 2009.

Downloads

Publicado

2020-09-25

Como Citar

MEDEIROS, R. L.; GALA, P. S. de O. S.; FARIA, L. H. L.; TEIXEIRA, R. B. ECONOMIC COMPLEXITY AND POST-PANDEMIC CHALLENGES FOR BRAZIL: A NEW PERSPECTIVE FOR ESPÍRITO SANTO. RINTERPAP - Revista Interdisciplinar de Pesquisas Aplicadas, Cariacica (ES), Brasil, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2020. DOI: 10.47682/2675-6552.v1n1p1-11. Disponível em: http://journals.sespted.org/rinterpap/article/view/medeiros-1-11. Acesso em: 3 dez. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)